erros na importação

Atente-se para possíveis erros na importação

Qualquer momento de desatenção durante o processo de importação pode gerar grandes inconvenientes. Por mais diligente que seja o importador, alguns erros podem acabar sendo cometidos, dos mais simples até os mais complexos.

E nesses casos, as consequências são problemas com a fiscalização aduaneira, retrabalho, multas, e atraso na entrega da carga. Sendo assim, listamos alguns erros cometidos com frequência no processo de importação.

Conheça os principais erros na importação e suas consequências

Com base nos relatos de nossos clientes, separamos alguns exemplos e soluções simples para facilitar o planejamento e execução de seu negócio. Evite falhas para importar com mais tranquilidade.

Divergência de peso

Podem existir muitos erros de comunicação durante o processo de importação. Um deles diz respeito ao peso da carga, que deve incluir a mercadoria, a embalagem e o pallet. Ou seja, o peso da mercadoria como um todo.

Muitas vezes o importador, em conversa rápida com o exportador, pergunta pelo peso e recebe uma resposta relativa ao produto, sem considerar os demais elementos. O peso líquido e peso bruto devem ser sempre analisados durante o processo de importação.

Como consequência da divergência de peso, os produtos podem ficar retidos na alfândega, gerando atrasos na liberação e recebimento dos produtos. Multas também podem ser aplicadas, por violação das determinações legais.

Caso você não tenha certeza de alguma informação, solicite um detalhamento ao fornecedor. Nesse caso, o excesso de dados pode evitar falhas no futuro.

Mercadoria em pallet de madeira não tratada para pragas

De acordo com a legislação internacional, para transporte em estrados de madeira, o material deve receber um tratamento específico, contra eventuais pragas. Trata-se de uma norma de controle sanitário que nem sempre é observada pelos importadores.

Se a mercadoria chega em território nacional em pallet de madeira que não recebeu o tratamento adequado, toda a carga pode ser autuada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Quando o importador deixa de exigir do exportador o tratamento contra pragas, corre-se o risco de sofrer com o retrabalho, sendo obrigado a realizar o tratamento ou substituir o pallet de madeira em desconformidade com a legislação, isso quando não ocorre punições piores como devolução da carga.

Portanto, antes de autorizar o transporte de sua carga, verifique como o material será transportado e embalado pelo exportador e então consulte a famosa IN32/2015 do MAPA, que é a legislação reguladora deste assunto.

Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM) errada

A NCM é um código, formado por oito dígitos, que permite os cálculos dos tributos devidos no processo de importação e exportação, sendo considerado uma classificação fiscal.

As consequências por erros no NCM são duras. Quando informado de forma incorreta na Declaração de Importação, o importador pode sofrer uma multa de pesada sobre o valor da mercadoria importada, com incidência adicional em razão do erro na classificação.

Quando o NCM não está presente ou está descrito de forma incorreta na Bill of Landing – conhecido como conhecimento de embarque –, a multa aplicável é de R$5.000,00, representando um grande prejuízo para o importador.

Logo, se você tem dúvidas sobre este tema, recomendados a leitura de Como encontrar o código NCM mais adequado.

Falta de marcação nos volumes

Outro erro que deve ser evitado pelo importador é a ausência de marcação nos volumes. A legislação pode estabelecer a necessidade de que os produtos importados recebam rotulagem, marcação ou numeração.

Quando esses elementos não estão presentes, o produto é considerado como não identificado e/ou incompatível com os documentos fiscais.

De acordo com a Receita Federal, o importador não está obrigado a marcar os produtos. Porém a não marcação irá gerar atrasos na liberação até que a carga seja devidamente identificada e vinculada ao consignatário correto.

Essa regra não se aplica, no entanto, aos produtos previstos no Regulamento do IPI, que constitui uma exceção. São os produtos objeto de industrialização no país, o que está previsto no art. 273 do RIPI.

A falta de rotulagem, marcação ou numeração, quando exigidas nos termos da legislação vigente, importará em considerar-se o produto como não identificado com o descrito nos documentos fiscais.

Nossa sugestão é inserir esse item no checklist de sua importação. Pois, o processo de importação é complexo devido a singularidade de cada etapa.

Planejamento adequado evita erros na importação

Como é possível notar, são muitos os erros cometidos durante a importação. As principais consequências são o retrabalho, pagamento de multas, retenção da mercadoria na alfândega e demora em receber os produtos.

Todos esses problemas podem ser solucionados através de um planejamento adequado da importação. Pensar cada um dos passos do processo de importação ajuda a evitar erros como os citados acima.

Além disso, você pode contar com ajuda especializada, de profissionais que conhecem o processo de importação, a legislação aplicável e como realizar uma importação segura, sem erros e inconvenientes.

Em nosso blog, você pode encontrar outras dicas para Administração e Gestão do seu negócio.

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *