Blockchain e comércio internacional

Tópico verdadeiramente quente nos últimos tempos, principalmente frente às criptomoedas e ao crescimento exponencial das interações comerciais internacionais, o Blockchain tem sido usado ostensivamente nos mais variados meios. Quer saber um pouco mais?

O conceito de Blockchain surgiu em 2008, com o nascimento do Bitcoin e a popularização da moeda. Muitas pessoas se preocupavam com a segurança das transações online, ainda mais, frente aos altos valores propostos pelo comércio da criptomoeda.

Diante da revolução que acontecia, algo necessitava ser feito para fomentar a segurança dos investidores frente ao Bitcoin, então criou-se o Blockchain com um sistema virtualmente impossível de ser hackeado ou violado. Veja mais abaixo como funciona esse sistema e como pode ajudar em transações internacionais.

Como Funciona O Blockchain?

Seu nome, em inglês, explica muito bem como ele funciona: como uma rede de blocos encadeados. Eles sempre carregam um conteúdo encriptado, junto com uma chave digital única. Nessa corrente, pode-se encontrar uma série de conteúdos que se resumem numa ação, como por exemplo, uma transação financeira. Não é à toa que ele é conhecido como protocolo da confiança.

Nos blocos, você encontrará o valor, a moeda, a pessoa que recebeu, que transferiu e assim por diante. O diferencial aqui é que dentro dos blocos existem funções matemáticas que, tão somente por meio da interação de uns com os outros blocos, revelam seu real conteúdo. Isso gera uma espécie de selo, sendo possível notar se um bloco foi alterado e então invalidá-lo.

Mais E Quais As Vantagens De Usar O Blockchain?

Eliminando intermediários e evitando que as informações sejam alteradas em transações de alto valor ou que normalmente precisariam de várias autenticações (como as transações internacionais) o Blockchain alicerça seu funcionamento em 4 pilares:

  • PRIVACIDADE: Garantindo total discrição do conteúdo do bloco, ocultando informações sensíveis, mas sem impossibilitar a possibilidade de verificação de possíveis tentativas de alterações criminosas;
  • CONTRATO INTELIGENTE: Uma vez escrito e definido, o blockchain simplesmente não pode ser alterado, possibilitando assim a criação de contratos e acordos de transações que funcionam como verdadeiras cláusulas pétreas;
  • CONSENSO: Ainda com base na impossibilidade de ser fraudada, a Blockchain pode ser sempre verificada pelos participantes da rede e aprovada por eles;
  • LIVRO DE REGISTROS: Paradoxalmente, frente à discrição, as transações circulam por um sistema de registros compartilhada por toda a rede, onde todos podem ver. A criptografia permite que o conteúdo não seja revelado, e a visibilidade da transação faz com que existam registros em vários sistemas, a fim de reforçar a fiscalização e saúde do conteúdo.

Como pode ser interessante para sua importação ou exportação

As transações internacionais só têm a ganhar com isso, quer seja na maior rapidez, maior volume de capital transportado, segurança e até mesmo facilidade e praticidade. Quem trabalha com a movimentação do capital para dentro e fora de um país, sabe que muitas vezes os valores demoram a ser transferidos.

Mas a tendência é que os próprios bancos passem a fazer uso dessa tecnologia, tal qual tem feito o HSBC, que já começa a flertar com o sistema, aplicando tanto em transações de altos valores, quanto em testes de transações de baixo valor.

Vale conferir com o seu banco e/ou fornecedores se praticam transações desse tipo. Essa pode ser uma alternativa interessante para negócios que demandem transações internacionais. Sem dúvida esse é o caminho para o futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *