Impressão 3D e os Impactos no Setor Industrial

Sem dúvida você já ouviu falar sobre impressão 3D em algum lugar. Se ainda não conhece a impressão em 3D é um processo que torna objetos sólidos tridimensionais a partir de um arquivo digital. Ele funciona da seguinte maneira, num processo aditivo, um objeto é criado estabelecendo sucessivas camadas de material até um objeto ser formatado como um todo.

Cada uma dessas camadas pode ser vista como uma seção transversal horizontalmente cortada do objeto final. Ou seja, funciona de uma maneira muito diferente de qualquer processo de produção industrial. Uma vez que a construção de determinada peça/produto é feita por camada e não “cortada” da matéria prima.

No geral a impressão 3D ajuda a desenvolver formas complexas e funcionais utilizando menos matéria prima e com menos desperdício do que o modelo convencional. Além disso, a produção de qualquer produto na impressora 3D está completamente dependente do design. Funciona como uma impressora de textos, sem o arquivo em texto não é possível imprimir.

Economia de custos de material

A tecnologia de impressão 3D tem o potencial de oferecer infinitas opções do processo de fabricação. Além disso, o processo é extremamente preciso. Um bom comparativo é que no processo atual é utilizado o que é conhecido como “processo subtractivo”. Nele, se você quiser uma peça feita de alumínio, um bloco é colocado em um sistema de CAD e o excesso de material é cortado para fazer a peça. Nesse processo, dependendo da complexidade da forma necessário, aproximadamente 60% a 70% do bloco de alumínio termina como sucata. A sucata é mais tarde derretida e reutilizada para futuras necessidades de fabricação.

Em contrapartida, a tecnologia de impressão em 3D é “aditiva”. Ou seja, é um processo de união de materiais para a criação de objetos a partir dos dados de um design tridimensional. Como comentamos anteriormente é usualmente feita camada sobre camada, de forma oposta ao processo de manufatura. Isso significa que os fabricantes podem usar o mínimo necessário de material para fabricar uma peça.

Nesse caso a impressora 3D poderia essencialmente eliminar o processo de derretimento do excesso de material de sucata e recursos desperdiçados. Isso significaria a diminuição dos custos totais de materiais para o fabricante.

Agora imagina o impacto dessa questão para a indústria de transformação em geral. A diminuição de custos de materiais poderia reduzir significativamente o capital amarrado em matérias-primas e custos para recuperar sucata.

Melhoria dos cálculos de custos incrementais

Embora o custo inicial de uma impressora 3D, para alguns segmentos industriais, possa ser alto, a tecnologia tem o potencial de reduzir substancialmente os custos unitários incrementais para um fabricante. Existe chance considerável de que uma peça feita em uma impressora 3D possa custar muito menos do que uma completa por meio de processos de fabricação tradicionais.

Eventualmente, com o desenvolvimento constante da tecnologia, poderemos vivenciar uma mudança completa na forma como a fabricação industrial é feita. Claramente existirá um período de transição, porém com os impactos de redução de custos que a Impressão 3D pode gerar é muito provável que o investimento inicial se pague em pouco tempo.

Transformação no processo de produção e vendas

Num processo de produção de impressão 3D existem transformações drásticas do processo tradicional. Durante o processo de fabricação, as equipes de vendas e produção devem trabalhar em colaboração constante para garantir que todas as datas de entrega sejam atendidas.

Com a impressão em 3D, a equipe de produção tem maior flexibilidade, uma vez que a montagem é uma operação única e o tempo de configuração se reduz para quase zero. Devido à flexibilidade neste novo processo, equipes de vendas terão maior amplitude e agilidade de inserção de pedidos. Além disso, as operações em si terão maior capacidade de produção, uma vez que são cumpridos quase que imediatamente.

Isso também significa a possibilidade de uma produção cada vez mais personalizada. Sabemos que o modelo de produção atual tem uma limitação clara quando se diz respeito a customizações e personalizações. Principalmente por conta do impacto de custos do processo de produção. Com a impressão 3D as possibilidades de alterações no processo são muito reais, o que gera incrível facilidade de produtos cada vez mais nichados e individualizados.

Mudança da estratégia de precificação

Vale ressaltar que a redução no tempo de produção e a redução dos custos indiretos não necessariamente significam que as empresas terão que reduzir preços finais de seus produtos. Como comentado, as possibilidades de personalização se tornam cada vez mais reais para fabricante com o processo de impressão 3D. Gerando possibilidade da criação de estratégias de precificações distintas.

Além disso, como comentamos, o impacto na redução de custos da produção pode ser siginificativo. Isso siginifica que a estratégia de precificação pode ser mantida, mesmo repassando um desconto no produto final. Ou seja, a redução de custo do produto final, nesse caso, pode não significar redução de lucro para as empresas, pelo contário, pode-se manter ou até aumentar as margens.

Resumindo

Por enquanto, o impacto da impressão em 3D na fabricação industrial ainda é relativamente pequeno. Sabemos que alguns segmentos vêm explorando as possibilidades da impressão 3D, como o aeronáutico com a fabricação de algumas peças de aeronaves. As empresas têm focado nas possibilidades de design de partes com melhor aproveitamento de espaço e material. Consequentemente acarretando em economias no valor de produção da aeronave assim como no próprio uso final uma vez que os designs geram um impacto significativo no peso da aeronave. Isso significa que a aeronave fica mais leve e utiliza menos combustível.

Porém ainda existe muito espaço para explorar a impressão 3D no segmento industrial. Apesar disso a evolução da tecnologia vem crescendo num ritmo acelerado e cada dia vemos algo novo criado a partir dela. O que começou como a fabricação de parafusos de plástico e pequenas peças de vidro atualmente transformou-se na fabricação completa de produtos finais. Alguns exemplos são automóveis e até mesmo os edifícios produzidos com impressão 3D em uma única ação de fabricação. Isso prova que as possibilidades dessa tecnologia são infinitas para os fabricantes.

Por isso, vale ficar atento e pesquisar como a impressão 3D pode afetar o seu segmento. No texto sobre Indústria 4.0 comentamos sobre a possibilidade de interação online com a fabricação, por exemplo. Sem dúvida a impressão 3D fará parte desse novo mundo industrial e consequentemente afetará todo o comércio, inclusive o internacional.

E aí o que você acha? Já testou a impressão 3D no seu segmento? Deixe um comentário!

One thought on “Impressão 3D e os Impactos no Setor Industrial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *