Importação de máquinas: Um novo cenário para a indústria brasileira

Os números da importação de máquinas no Brasil crescem a cada ano. De acordo com levantamento realizado pela Abimei – Associação Brasileira dos Importadores de Máquinas e Equipamentos Industriais, de 2020 para 2021, o crescimento foi de 61,4%.

Esse aumento não é explicado apenas pelo fato de que em 2020 muitas atividades ficaram paralisadas por conta da pandemia do coronavírus. Embora essa situação tenha contribuído, a verdade é que para a indústria brasileira, de forma geral, a importação de máquinas costuma ser muito benéfica.

Se você tem interesse sobre o assunto e quer saber mais a respeito da importação de máquinas: um novo cenário para a indústria brasileira, continue com a leitura deste artigo e confira as informações presentes nos tópicos a seguir.

  • Como e porque as indústrias importam máquinas
  • Benefícios e dicas para empresas que importam máquinas

Como e porque as indústrias importam máquinas

A importação de máquinas por parte das indústrias brasileiras não é nenhuma novidade. No entanto, nos últimos anos, ocorre um crescimento significativo e as razões são muitas. Uma delas é o fato de simplesmente não haver alguns equipamentos à venda no Brasil.

Dessa maneira, as indústrias precisam recorrer às empresas do exterior. Além disso, algumas tecnologias são detidas apenas por alguns países, como é o caso da fabricação dos microprocessadores e chips, amplamente utilizados nos mais diversos segmentos.

Mas não é só por isso que as indústrias importam máquinas. É bastante comum que os concorrentes de outros países ofereçam produtos com preços mais atrativos, mesmo que o processo de importação exija o pagamento de taxas que podem elevar consideravelmente o valor do mesmo.

E mais, também é frequente que as empresas de outros países possuam máquinas de alta qualidade, com tecnologia de ponta que, não raro, são preferidas para o processo industrial.

Atualmente, a lista dos países que mais exporta máquinas para o Brasil inclui nomes como China, Japão, Estados Unidos, México, Coreia do Sul, Alemanha, Vietnã, Tailândia, Taiwan e Malásia, entre outros.

Benefícios e dicas para empresas que importam máquinas

Quando se fala na importação de máquinas, as vantagens são bastante atrativas. Entre elas, destacam-se o preço competitivo e a alta tecnologia empregada. Claro que existe uma grande variedade de equipamentos que atendem às indústrias e a situação pode mudar de acordo com o segmento de atuação.

Por isso, vale a pena fazer uma pesquisa de mercado e conferir as opções disponíveis no mercado nacional antes de importar. De todo o modo, na hora de comprar máquinas de outros países, é possível garantir uma aquisição de sucesso com algumas dicas. Veja quais são as principais a seguir.

  • Regime ex-tarifário

Uma forma de economizar na hora de importar máquinas é optar pelo regime chamado de ex-tarifário. Ele é oferecido pelo governo com o objetivo de diminuir por um período de tempo a alíquota que incide no imposto de importação, podendo chegar a zero, em determinados casos.

Isso ocorre quando são importados os bens de capital, que são os produtos da indústria intermediária, utilizados na fabricação de outros bens ou serviços. O mesmo é feito com os produtos de informática e telecomunicação, desde que não haja produção nacional equivalente.

Também é preciso verificar se a máquina se enquadra no regime, através da sua classificação fiscal. Outro cuidado é o de se planejar com antecedência, já que para obter esse benefício é preciso solicitá-lo alguns meses antes.

  • Importação de máquinas usadas

Mais uma dica para empresas que desejam importar máquinas é optar pela aquisição de equipamentos usados. No entanto, é importante saber que em tese esse procedimento é proibido, a não ser com algumas exceções.

E se você se enquadra em uma delas pode economizar bastante e mesmo assim obter máquinas modernas para a sua produção. A exceção para a importação de maquinário de segunda mão é referente a itens que não tenham similares fabricados nacionalmente.

Isso está previsto na Portaria SECEX n.23, de 14/07/2011 e no Regulamento Aduaneiro (Decreto n. 6.759/2009). E para agir em conformidade com a lei o melhor é conseguir primeiro a autorização para a importação e só depois efetivá-la.

  • Admissão temporária de máquinas usadas

Por fim, outra dica para empresas que importam máquinas é conhecer a denominada admissão temporária de máquinas usadas. Essa medida consiste em optar pelo regime de Admissão Temporária para Utilização Econômica.

Dessa maneira, é possível comprar o equipamento e pagar os impostos referentes à importação de modo proporcional ao tempo que a mesma ficará em território nacional. Para simplificar esse processo, recentemente foi criada a Instrução Normativa n. 1989/2020.

Já o tempo máximo para que se possa usar a máquina importada por meio desse regime é de 100 meses. Depois desse período, pode-se renovar a concessão e pagar mais uma vez os tributos relativos ao novo período ou extinguir o regime.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *