Frete internacional: Entenda o que é e quais os desafios atuais

Todos os países que importam e exportam mercadorias, inclusive, através dos portos, estão sofrendo uma série de desafios em decorrência da atual situação.

A combinação de pandemia de coronavírus, falta de contêineres para o transporte de mercadoria e a recente alta da demanda de muitos produtos faz com que o valor do frete internacional atinja patamares nunca antes visto.

Nesse cenário, empresas que atuam com a importação e exportação de mercadorias devem estar atentas aos acontecimentos. E se você deseja estar bem informado, continue lendo este artigo e saiba tudo a respeito de frete internacional, entenda o que é e quais os desafios atuais nos tópicos a seguir.

  • Trâmites da cadeia de frente internacional
  • Principais desafios da alta de preços
  • Importância de um agente de carga de confiança

Trâmites da cadeia de frente internacional

O frete internacional consiste no valor que se paga para que uma mercadoria seja transportada do Brasil para outros países e vice-versa. Ou seja, está presente no dia a dia de empresas que importam e exportam produtos.

Hoje em dia, o frete internacional pode acontecer por diferentes meios de transporte, que são chamados de modais.

Entre eles, é possível citar o modal ferroviário, que acontece nos vagões interligados a uma locomotiva; o aéreo, realizado por meio de aeronaves, o rodoviário, feito a partir de caminhões e carretas em rodovias e estradas, e o marítimo, que ocorre com o uso de embarcações, em especial, os navios.

Esse último tipo de modal é o mais comum quando se fala em transporte de mercadorias que são compradas de outros países ou vendidas para eles, responde por cerca de 90% da movimentação mundial de carga. Já o pagamento do frete internacional pode ser realizado de duas maneiras.

Uma delas é a Freight Prepaid e consiste em fazer o pagamento logo depois do embarque, para retirada do conhecimento de embarque – nesta modalidade o frete é pago geralmente no país de origem da carga, pelo exportador. A outra forma é a chamada Freight Collect e refere-se ao frete a pagar no destino, frete este pago pelo importador após a chegada da mercadoria.

Principais desafios da alta de preços

Desde o início da pandemia do coronavírus, o comércio internacional está sofrendo com inúmeros entraves. Inicialmente, muitas atividades foram paralisadas parcialmente ou em sua totalidade, o que ocorreu em todo o mundo.

À medida que os países começavam ou terminavam períodos de quarentena, as importações e exportações paravam ou voltavam a funcionar. Esse vai e vem causou problemas logísticos para praticamente todos os segmentos de mercado. Inclusive, os que dependem de produtos de outros países.

Esse cenário fez com que houvesse uma imensa alta no valor do frete internacional, principalmente, em relação ao transporte marítimo.

De acordo com a CNI – Confederação Nacional da Indústria, entre janeiro de 2020 e setembro de 2021, valor do frete internacional do Brasil para os Estados Unidos, por exemplo, aumentou 433%. Já se vier da Ásia para o Brasil o preço subiu 446%.

As razões são diversas, como a falta de contêineres em portos de todo o mundo, a ausência de proatividade dos governos e as ações promovidas por um grupo de armadores, que detém as principais empresas de transporte marítimo e contêineres.

Estima-se que, no Brasil, a falta de contêineres será parcialmente resolvida no início de 2022, mas que a conjuntura apenas vai se estabilizar no segundo semestre. Por isso, enquanto a situação não melhora as empresas que importam e exportam devem conviver com essa realidade.

Isso pode ser feito com a absorção dos prejuízos, com o repasse para os clientes ou até mesmo com a busca de alternativas no mercado nacional. Além disso, os mais impactados são os que importam produtos com baixo valor agregado, para os quais fica mais difícil de repassar o aumento do frete para as mercadorias.

Existem outros fatos ainda que prejudicam as operações para o Brasil, como a sua posição no comércio internacional, que não é muito relevante, já que corresponde a somente 1% dos contêineres movimentados em todo o mundo, e também nossa fragilidade cambial, que hoje favorece os exportadores e prejudica absurdamente os importadores.

Em outras palavras, o país não integra as principais rotas de navegação. E mais, o fato de importar mais mercadorias em contêineres do que exportá-las provoca o chamado desbalanceamento em determinados fluxos de carga, sem contar que a aduana portuária no país é considerada pouco eficiente em relação `amédia mundial.

Mesmo com as suas singularidades, o problema do frete internacional não é uma exclusividade do Brasil, já que muitos outros países estão passando pelo mesmo.

Afinal, há uma grande relação entre as nações quando o assunto é comércio exterior. Muitos países firmam parcerias comerciais para promover uma maior compra e venda dos seus produtos.

Importância de um agente de carga de confiança

Frente aos desafios do cenário atual no que diz respeito ao frete internacional, torna-se ainda mais essencial contar com um agente de carga de confiança. Esse profissional ou empresa que oferece o serviço é o responsável por dar todo o apoio necessário ao transporte internacional de mercadorias.

Desse modo, é considerado um intermediário entre o exportador ou importador e as empresas de transporte e logística. Isso quer dizer que, se for um profissional experiente ou se for uma empresa com uma equipe capacitada, está apto a encontrar as melhores soluções para quem deseja operar no comércio exterior.

Além de outros benefícios, pode encontrar o frete internacional mais vantajoso para o seu negócio e garantir que consiga comprar do exterior ou vender para outros países com sucesso. Mas para fazer uma escolha assertiva é importante buscar empresas de confiança e com credibilidade no mercado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.