Entenda como contêineres são carregados e empilhados

Os contêineres são essenciais na hora de importar e exportar mercadorias, uma vez que eles são os responsáveis pela armazenagem da carga durante o transporte, inclusive, quando ocorre por meio de navios, caminhões e trens. Mas você sabe como é a sua utilização no dia a dia do comércio exterior?

Para entender como contêineres são carregados e empilhados, continue com a leitura deste artigo e confira as informações presentes nos tópicos a seguir.

  • Qual a importância dos contêineres no comércio exterior
  • Como funciona o carregamento do contêiner
  • Panorama da atual falta de contêineres no mundo

Qual a importância dos contêineres no comércio exterior

Os contêineres surgiram como uma forma de garantir a segurança das cargas transportadas, em especial, na hora de realizar importações e exportações. Afinal, costumam exigir viagens mais longas, quando é fácil que as mercadorias sofram danos ou mesmo sejam extraviadas.

Além disso, essas grandes caixas de aço contribuem com a agilidade do carregamento e descarregamento dos produtos, bem como com o seu adequado armazenamento. Por isso, os contêineres se caracterizam por sem fortes, práticos de movimentar, padronizados e empilháveis.

Por consequência, são também muito duráveis e, devido as suas vantagens, ajudaram a impulsionar o comércio exterior em diversos países. Atualmente, é possível encontrá-los nos tamanhos de 20 e 40 pés, para ter uma ideia, os primeiros tinham 33 pés.

Dessa maneira, o contêiner de 20 pés possui 5,9 metros de comprimento e o de 40 pés chega a contar com 12 metros.

Para saber qual dos dois tipos é o mais adequado para a sua necessidade, costuma-se utilizar os seguintes parâmetros: quem pretende transportar mais de 30 metros cúbicos em carga que pese menos de 26 toneladas deve escolher um contêiner de 40 pés.

Já se o volume de mercadorias fica entre 15 e 30 metros cúbicos, então, o melhor é optar pelo contêiner de 20 pés. Para estar em funcionamento, um contêiner precisa obter certificações, como a ISO 338, a ISO 790 e a ISO 1987.

Com elas, consegue-se garantir o uso de contêineres com as dimensões e demais atributos apropriados, que são fundamentais para o seguro transporte de cargas.

Como funciona o carregamento do contêiner

Existe um procedimento padrão para o adequado carregamento de contêineres, sendo que após as mercadorias serem colocadas dentro dele é preciso levá-los para o porto designado, caso a importação seja realizada pelo modal marítimo.

Além do tamanho de um contêiner, é possível optar por um que seja refrigerado, que tenha o topo mais alto, isolamento térmico, lados dobráveis (flat racks), teto removível (open top), meia altura, portas duplas, lateral aberta ou que seja ventilado.

Cada modelo atende necessidades específicas, sendo que ele pode ser ainda um bulk para transporte de cargas em granel ou um tanque para transporte de materiais líquidos. Há também contêineres indicados especificamente para o transporte de veículos.

De todo o modo, quando chega ao porto, ele é empilhado junto aos demais e assim é mantido até a chegada do navio em que será transportado. O próximo passo é levar o contêiner para o lado do navio, o que é feito por meio de um veículo chamado porta-contêineres.

É importante que cada caixa seja colocada na posição correta em cima do navio para que o deslocamento ocorra sem incidentes. Para tanto, são avaliados aspectos como peso do contêiner e o porto designado para o desembarque.

Já para sair do caminhão, o guindaste de pórtico prende-se ao contêiner e o levanta do caminhão para que seja depositado no navio, onde é preso de forma apropriada. Assim que o navio estiver carregado e a amarração do contêiner assegurada, a viagem já pode iniciar.

Panorama da atual falta de contêineres no mundo

Em decorrência da pandemia do coronavírus, as operações em muitos portos em todo o mundo foram prejudicadas. Além de grandes filas de navios esperando pelo embarque e desembarque em portos chineses que levaram ao atraso da chegada de mercadorias em muitos países, ocorre a falta de contêineres.

Isso porque os períodos de paralisação das operações devido aos surtos de Covid-19 causaram um posterior aumento na demanda, o que ocasionou a insuficiência de caixas para todas as importações e exportações.

Por consequência, houve um significativo aumento do valor do frete marítimo, bem como a redução do período de free time.

Para completar, ocorreu ainda a diminuição de mão de obra necessária para movimentar os contêineres nos portos e um crescimento no número de caixas com mercadorias parados nesses locais, levando uma redução na disponibilidade de navios contêineres em atividade.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *