Importação da China

A China é um importante parceiro das importações e das exportações do Brasil. Além de empresas, muitas pessoas também importam produtos chineses e para todos os tipos de operações é necessário seguir os adequados trâmites legais.

Embora seja comum ouvir que as compras feitas na China demoram muito tempo para chegar ao país, empresas possuem meios para tornar a chegada mais rápida. Isso porque parte da demora se dá em decorrência da burocracia que existe quando o produto desembarca em território nacional.

O procedimento necessário é a chamada nacionalização, a qual é significativamente reduzida quando são contratadas empresas especializadas em comércio exterior que podem oferecer a assessoria apropriada.

Além disso, empresários que desejam apostar na importação da China devem saber que todos os seus produtos serão taxados na alfândega, ou seja, pagarão seu imposto devido, variando conforme o tipo de produto e o regime de importação utilizado. O importador precisa estar atento ainda a todas as regras aplicadas pela Receita Federal, inclusive, em relação à documentação exigida.

Quais produtos são importados da China?

Para muitas empresas, seguir todos os trâmites necessário vale a pena, uma vez que o preço das mercadorias chinesas costuma ser bastante atrativo frente aos preços nacionais.

Isso pode ser comprovado através da grande variedade de produtos chineses que chegam no país todos os anos. Além de roupas e eletrônicos, amplamente importados por consumidores finais, empresas de diferentes segmentos de mercado praticam a importação da China.

Componentes para aparelhos de telefonia, motores, geradores e transformadores elétricos, plataformas de perfuração, dragas, dispositivos semicondutores, circuitos integrados, peças para veículos, automóveis e tratores, bem como inseticidas, formicidas, herbicidas e similares são alguns exemplos.

Outros que entram na lista dos mais importados são tecidos de fibra têxteis, sintéticas ou artificiais, produtos laminados de ferro ou aço, bombas, compressores e ventiladores. Mas como garantir uma importação da China com sucesso? Confira a seguir as principais dicas e informações sobre o tema.

Existe quantidade mínima exigida para importar?

Uma das principais dúvidas de empresários que desejam apostar na importação da China é se existe uma quantia mínima que deve ser comprada. A resposta para essa pergunta é: depende do fornecedor ou da fábrica.

Alguns deles trabalham com quantidades mínimas porque não têm grandes estoque e fabricam sob demanda. Além disso, o número mínimo de mercadorias que pode ser adquirido pode depender ainda do seu tipo.

De todo o modo, é importante lembrar que, em geral, quanto mais itens forem comprados, mais baixo fica o custo unitário. Ou seja, costuma ser mais vantajoso adquirir um volume maior de cada artigo.

E mais, poucas unidades de uma única mercadoria podem até mesmo inviabilizar a importação. E por essas variantes é preciso pesquisar bastante e fazer muitas contas antes de fechar negócio.

Quanto custa a importação da China?

Outra dúvida comum é sobre os custos da importação da China. Essa resposta se obtém através de um cálculo, que deve considerar o valor do produto, lembrando que nesse momento é preciso ter em mente a taxa cambial.

A esse cálculo devem ser somados os custos dos serviços com a transação, como o frete internacional, o despacho aduaneiro, além de taxas portuárias e despesas de armazenagem nas zonas primárias ou secundárias, quando forem necessárias.

Por fim, ao cálculo são somados ainda os impostos e taxas. Entre eles, Imposto de Importação, COFINS, PIS e Impostos sobre Produtos Industrializados. Também pode incidir o ICMS, que é cobrado pelos estados, além da taxa pela utilização do Siscomex e do Adicional ao Frete Para Renovação da Marinha Mercante.

Busque informações dos fornecedores

Um dos principais pontos para ter sucesso na importação da China é conhecer muito bem os seus fornecedores. Isso exige procurar informações a seu respeito, bem como referências para se certificar que são de confiança e credibilidade no mercado.

Além de conversar com empresários que já importaram, participar de feiras segmentadas ou genéricas é mais uma forma de obter dados importantes e conhecer melhor os fornecedores. Já na hora de comprar através do site da empresa certifique-se que a descrição dos produtos está atualizada.

Por isso, é adequado se comunicar com o fornecedor antes de fazer uma compra, inclusive, se for de grande valor ou volume. Nesse momento, aproveite e peça uma amostra da mercadoria antes de realizar uma aquisição substanciosa.

E claro, a comunicação deve ser nos idiomas chineses (mandarim e cantonês são os principais), ou em inglês, sendo que é recomendado não a suprimir, a fim de evitar problemas futuros. Com a devida comunicação você pode ser o mais específico possível sobre o que deseja adquirir, esclarecer dúvidas e ter a garantia de uma importação dentro do previsto.

Outra maneira de realizar uma importação da China assertiva é contratando empresas especializadas em comércio exterior. Com a sua experiência, você consegue fazer uma transação mais eficiente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *