Importação no Brasil: Entenda os principais pontos do processo

Importar produtos de outros países é uma prática comum no Brasil. Empresas de diferentes segmentos de mercado investem na compra de mercadorias do exterior, devido ao seu preço competitivo ou ausência no mercado nacional.

No entanto, para importar de forma adequada, é preciso seguir todo um procedimento, com diferentes etapas que exigem muita atenção.

Se você tem interesse no assunto e quer saber mais sobre importação no Brasil e entender os principais pontos do processo continue lendo este artigo e confira as informações presentes nos tópicos a seguir.

  • O que é importação
  • Como funciona o processo
  • Benefícios da importação para o importador
  • Importância do estudo de mercado

O que é importação

O conceito de importação é bastante simples e consiste em comprar mercadorias de outro país. No entanto, o seu procedimento é bastante complexo e engloba diversas operações e agentes, como veremos mais adiante.

O Brasil possui um grande número de empresas que importam os mais diversos produtos. Entre eles, ganham destaque as categorias de adubos e fertilizantes químicos, óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos e plataformas, embarcações e outras estruturas flutuantes.

Outras categorias de mercadorias que são amplamente importadas pelo Brasil são os equipamentos de telecomunicações, incluindo peças e acessórios, obras de ferro ou aço e outros artigos de metais comuns. Já os principais países da onde se importa são China, Estados Unidos, Argentina, Alemanha e Coreia do Sul.

Além disso, existem três tipos de operações que as empresas podem realizar. Uma delas é a importação própria ou direta, na qual o importador é também o consumidor final dos produtos. Outro tipo é a importação por conta e ordem de terceiros.

Nessa modalidade, a operação é prestada por uma empresa terceira, que faz o processo da liberação aduaneira dos produtos comprados pela contratante.

O último tipo é a importação por encomenda, na qual o importador também atua como o intermediário na operação, mas faz uso de recursos próprios para tanto.

Como funciona o processo

Pessoas jurídicas que importam mercadorias do exterior devem seguir um rigoroso procedimento, diferentes das pessoas físicas, que possuem um processo simplificado, embora tenham um limite de quantidade e valor que podem comprar de outros países.

O primeiro passo para empresas importarem é obter a Habilitação no Radar ativa, sendo que RADAR é a sigla para Registro e Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiros.

Esse documento é a forma que uma empresa tem de provar que está devidamente constituída e conta com as condições necessárias para realizar a operação.

Além disso, as empresas deve pagar impostos para importar e optar por um tipo de frete de acordo com o modal de transporte escolhido, bem como pelo seguro da carga.

A escolha do Incoterm também faz parte do processo, que é um tipo de acordo no qual se definem as responsabilidades e custos do exportador e do importador na parte logística. As especificações de cada mercadoria é mais uma etapa do procedimento.

Já que o governo brasileiro regula e fiscaliza as importações, é preciso ainda que o importador faça uma DI – Declaração de Importação / DUIMP – Declaração Única de Importação. Trata-se de um documento eletrônico com todas as informações relacionadas à operação.

E mais, quando são importadas mercadorias como medicamentos, alimentos e animais vivos, existem documentações obrigatórias adicionais. Essa é a maneira que se tem para garantir o controle sanitário, ambiental e segurança do país.

Benefícios da importação para o importador

Quanto aos benefícios da importação, eles são inúmeros. É possível citar a possibilidade de comprar direto da fábrica, o que permite acesso a preços mais baixos, muitas vezes, até mais do que os praticados no mercado nacional, mesmo com a incidência dos impostos.

Também é comum que os importadores vendam as mercadorias que compraram do exterior com a sua marca própria. Além disso, o importador consegue ter acesso a produtos que não são encontrados no país, bem como aos que possuam tecnologia de ponta.

Com todas essas vantagens, empresas que importam contam ainda com um importante diferencial de mercado, contribuindo imensamente para o sucesso do seu negócio.

Importância do estudo de mercado

Os benefícios de importar devem compensar os desafios que existem para que esse tipo de operação valha a pena. Como já mencionado, o procedimento de importação pode ser bastante dispendioso, por isso, quem deseja começar a comprar do exterior deve inicialmente fazer um estudo de mercado.

Nele, deve ser levantado tudo o que deve ser feito de acordo com o segmento de mercado da empresa disposta a importar. Desse modo, é preciso considerar o custo com impostos, o modal de transportes (aeroviário, rodoviário, aquaviário, ferroviário ou dutoviário) e os documentais necessários.

Recomenda-se ainda fazer uma análise de risco, contratar seguro, avaliar os possíveis resultados da importação e realizar um estudo de viabilidade importação. Com essas informações é possível concluir se importar combina com a sua empresa e também se preparar adequadamente.

Para contribuir com todo o procedimento, inclusive, de logística, existem empresas especializadas em comércio exterior aptas a auxiliar a sua operação de importação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.