Importar Para Revender: Entenda Se Vale A Pena E Como Fazer

O século XXI nos permite viver em um mundo de distâncias encurtadas, seja por conta das tecnologias de comunicação ou de transporte e o mesmo vale para ter acesso aos produtos fabricados em locais como China e Estados Unidos, por exemplo.

As atividades de importação de produtos estrangeiros para vendas nacionais não começaram recentemente, contudo, será que essa prática é realmente rentável? Vamos adentrar esse assunto e te mostrar como fazer dessa prática um bom negócio.

Afinal, Vale A Pena Investir No Ramo De Importações?

Para começar a responder essa pergunta, levantaremos um enorme “talvez”. Isso porque para ser rentável você deve ser capaz de revender o produto importado a um valor competitivo no mercado nacional, então, o (1) primeiro passo é pesquisar a sua concorrência e os preços praticados.

Depois que tiver esses valores você deve (2) levar em consideração quanto deve investir para trazer o produto para terras nacionais, dentre taxas, fornecedores e impostos seguem os principais nomes que você deve ter na ponta da língua:

  • Frete junto a empresas transportadoras (incluindo também o transporte em terras nacionais);
  • Cotação de Real para Dólar (lembre-se de considerar o valor do dólar comercial);
  • Imposto sobre Operações Financeiras (IOF);
  • Imposto de Importação (II);
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
  • Taxa de Siscomex
  • Pis e Cofins
  • Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Quanto a conversão do dólar, é muito válido lembrar que cada empresa tem a liberdade de aplicar a cotação que achar apropriada, sendo assim, pesquise bastante antes de fechar negócio. Temos um conteúdo interessante no blog a respeito desse assunto, o texto: Taxa de Câmbio para Importação explora muito bem esse contexto para você.

Se ao considerar todos esses gastos, sua (3) margem de lucro desejada, e também outros gastos locais, a depender das características do seu negócio a importação ainda fizer sentido, podemos partir para o próximo capítulo.

Como Realizar A Importação Para Revender

Para importar produtos a fim de revender você tem que preencher um pequeno checklist e prestar atenção em alguns pormenores. Por exemplo:

  1. CNPJ: para importar para revender você dever ter um CNPJ, ou seja, uma empresa aberta e operante.
  2. RADAR/SISCOMEX: uma significa Registro e Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiro e o outro Sistema Integrado de Comércio Exterior são sistemas integrados que é preciso estar cadastrado para realizar importações.
    1. Existem 3 tipos de RADAR/SISCOMEX, fique atento aquele que serve para você no momento.
  3. Fornecedor: escolha-o com cautela, leve em conta a qualidade do produto. Temos conteúdos no blog que podem te ajudar com essa tarefa. Confira o Check-list de análise de fornecedor externo para te ajudar.
  4. Amostras: Você pode solicitar amostras antes de fazer uma grande compra. Acesse o texto sobre o que são amostras e como funciona no Brasil, isso pode te ajudar a entender sobre o assunto. Também temos um conteúdo interessante sobre alternativas no pagamento de amostras.
  5. Procure ajuda de um agente de carga: conte sempre com empresas que tem experiência no mercado e cuidado com atravessadores desconhecidos e sem reputação.

Concluindo

Importar não é um bicho de 7 cabeças, certamente essas dicas te deram uma luz, contudo, não é só isso. Busque sempre assessoria de um agende de carga que entende do assunto e evite frustrações e prejuízos.

Lembre-se de concluir o estudo de viabilidade de sua importação. Temos um conteúdo interessante com 5 dicas para te ajudar a calcular a viabilidade de sua importação, vale ler e aplicar para seus estudos.

Estamos por aqui caso precise de ajuda!

Boa sorte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *